Notícias

Documento vaza em redes sociais e causa polêmica entre professores de São José do Herval


Compartilhe:


Um documento assinado por cinco vereadores do município de São José do Herval caiu nas redes sociais e está gerando polêmica entre professores e funcionários ligados a Secretaria de Educação que utilizam do transporte escolar para se deslocar até as escolas onde desempenham suas funções.

A foto que circulou nas redes sociais foi tirada de um documento direcionado ao Setor de Controle Interno da Prefeitura Municipal, onde entre outros apontamentos aparece o que segue: “Os professores não podem ter transportes fornecido pelo Município, ou seja andar junto com os alunos”. O documento não chegou a ser protocolado no Controle Interno, mas chegou ao mesmo através de mensagem no Whatsapp. Diante da denúncia o Controle Interno notificou o Poder Público para que tomasse as devidas providências, já que a Legislação não regulamenta a utilização do transporte escolar por professores e funcionários.

Indignados com o documento que partiu dos vereadores, professores, funcionários e até pais engajados na causa participaram no início da noite de ontem (27), de uma caminhada que saiu do centro da cidade e foi até a sede da Câmara de Vereadores, onde participaram da Sessão Ordinária do Poder Legislativo. Utilizando camisetas, faixas e cartazes, os professores mostraram repúdio a iniciativa dos vereadores. Após acompanhar a sessão onde foram votados quatro projetos de Lei de origem do Poder Executivo, os professores acompanharam a apresentação de uma moção de apoio aos professores, onde os vereadores Celso Rodrigues Vieira (PTB), Adelar da Silva (PSDB), Edemilson Provenci (PMDB) e Gentil dos Santos da Cruz (PMDB) afirmaram não terem conhecimento de que tal documento estava sendo produzido pelos colegas e também afirmaram não concordarem com tal iniciativa, demonstrando total apoio ao professores.

Três profissionais da Educação falaram em nome dos professores destacando a importância da presença dos professores e funcionários dentro dos ônibus que fazem o transporte escolar. Ao se manifestar a secretária de Educação, Michele Formentão, explicou que diante das denúncias e dos apontamentos do Controle Interno, o Município está sendo forçado a tomar as medidas necessárias, não autorizando mais que os professores e funcionários utilizem o transporte escolar, por estarem sujeitos a essa denúncia chegar até o Ministério Público. “Sabemos da importância dos professores junto ao transporte escolar. As vezes os alunos brigam, passam mal ou até mesmo dormem e perdem suas paradas. Porém o professor ou o funcionário está lá para auxiliar. Eles fazem esse trabalho que o motorista não consegue fazer e não ganham nada a mais por isso”, explica.

A responsável pelo Controle Interno, Francilei Prestes dos Santos foi chamada pelo Poder Legislativo para esclarecer o fato. Ao usar da tribuna Franciele ressaltou que nada foi protocolado a respeito do transporte dos professores, mas que recebeu o documento via WhasApp e tomou as medidas cabíveis, notificando o Poder Público para que resolvesse o problema.

Ao ser solicitado pelo vereador Celso Rodrigues Vieira, o assessor Jurídico do Município, Jones Colussi, afirmou que as medidas tomadas pelo Controle Interno foram corretas.

O prefeito Lauro Rodrigues Vieira afirma que foi infeliz a iniciativa dos vereadores. “Somos um município pequeno, precisamos nos ajudar e não ficar criando problemas. Sabemos que não existe uma Lei que regulamenta o transporte dos professores junto ao transporte escolar, mas temos plena consciência do papel desses profissionais que auxiliam durante o transporte dos nosso alunos. Ter um professor dentro do veículo dá até mais segurança aos pais, pois sabem que os filhos estão sendo cuidados, trabalho esse que o motorista na maioria das vezes não consegue fazer sozinho. Infelizmente alguns dos vereadores tiveram uma iniciativa sem pensar nas consequências. Apesar de o documento não ter sido protocolado, ele vazou e agora todos estão arcando com as consequências, principalmente os nossos profissionais da Educação”, afirma.

Lauro ainda ressalta que o Poder Público fará o que for necessário para buscar uma alternativa Legal que possa resolver a situação que foi criada com a divulgação desse documento. Apesar de não ser regulamentado, o transporte de professores, funcionários e até mesmo pais é comum nos municípios da região, tendo em vista as dificuldades de deslocamento, porém na maioria dos casos sempre respeitando o aluno como primeiro usuário do transporte escolar.

Foto:  - Professora Valquiria Maia, representando professores e funcionários da Escola Tomé de Souza
Foto: - Professora Valquiria Maia, representando professores e funcionários da Escola Tomé de Souza
Foto:  Adriane schimuneck Vieira, professora e presidente do CPM da EMEI Meus Primeiros Passos -
Foto: Adriane schimuneck Vieira, professora e presidente do CPM da EMEI Meus Primeiros Passos -
Foto:  - Secretária de Educação Michele Formentão
Foto: - Secretária de Educação Michele Formentão
Foto:  - Prefeito Lauro  Vieira
Foto: - Prefeito Lauro Vieira
Foto: Professores realizaram caminhada até a sede da Câmara de Vereadores -
Foto: Professores realizaram caminhada até a sede da Câmara de Vereadores -