Notícias

Série B traz ao Inter prejuízos de R$ 26 milhões


Compartilhe:

Fonte: Correio do Povo


Foto: Alexandre Lops / Inter / Divulgação / CP Memória -
Foto: Alexandre Lops / Inter / Divulgação / CP Memória -

Aqueles que disseram, há um ano ou mais, que as receitas do Inter não sofreriam uma redução importante na Série B enganaram-se redondamente. Durante a semana que termina, o clube enviou aos conselheiros um pedido de suplementação orçamentária que apresenta números preocupantes. Na comparação do orçamento com o efetivamente realizado em 2017, as receitas, por exemplo, despencaram em cerca de 10%, ou R$ 26,2 milhões.

Segundo o próprio documento, “as principais variações envolvem as rubricas de arrecadação de jogos, negociação de atletas, sociais, publicidade e licença da marca”. Ou seja, este é o prejuízo direto que a Série B trouxe para o Inter ao longo de 2017.

A explicação é simples: para manter o estádio cheio na maioria dos jogos em casa, o clube vendeu ingressos por preços bem mais baixos, reduzindo as suas receitas. Além disso, o quadro social minguou ao longo do ano. Não há números oficiais — o Portal da Transparência não é mais atualizado —, mas estima-se que o clube hoje tenha cerca de 75 mil associados em dia.

Outro fator importante é a depreciação do elenco. Diferentemente dos anos anteriores, os jogadores colorados não sofreram assédio até o momento. Apesar de haver uma necessidade premente de vender pelo menos um jogador, por enquanto, não surgiram propostas interessantes.

Para compensar a quebra de receitas, o clube fez um trabalho de reorganização que trouxe redução de despesas em praticamente todas as áreas. Porém, o trabalho foi insuficiente para fazer uma compensação satisfatória. Em entrevista ao Correio do Povo no início da semana, o presidente Marcelo Medeiros admitiu as dificuldades: “O Inter vive uma situação séria e delicada”, afirmou.

A reunião do Conselho Deliberativo que analisará o pedido de suplementação orçamentária elaborado pela diretoria já está marcada. Ela ocorrerá na próxima quinta-feira, dia 14, e não deverá ser livre de polêmicas.