Notícias

Tarde de Campo da COAGRISOL trouxe informações técnicas aos associados


Compartilhe:

Assessoria de Comunicação COAGRISOL



A COAGRISOL, pelo quarto ano consectivo, promoveu sua Tarde de Campo, com foco na cultura da soja. O evento foi realizado na quarta-feira, 28/2, em uma área próxima à sede da Afecosol, e contou com a participação de associados de Soledade, Mormaço, Ibirapuitã, Nicolau Vergueiro, Fontoura Xavier e Barros Cassal.

Ao longo das 10 estações foram apresentadas informações sobre sementes, plantabilidade, cultivares de alta tecnologia e teto produtivo (maioria lançamentos) e sugestões de manejo. Na ocasião, também foi convidado o pesquisador da CCGL, Mário Bianchi, para falar com os produtores sobre controle de invasores.

Rudimar Hubner, um dos coordenadores do evento, comenta que foram convidadas empresas parceiras para participar. “Tivemos a presença da Bayer Cropscience, Syngenta, Du Pont, Nufarm, Mosaic, Emater, Dimicron e Monsanto. Nós da Coagrisol também tivemos um espaço, onde falamos sobre sementes e plantabilidade”, aduziu.

Ele destaca que o objetivo do evento foi trazer informação e tecnologia aos associados, fazendo isso se transformar em resultados. “Percebemos que o produtor tem participado e dado valor a este tipo de evento, tem vindo em busca de subsídios. Importante dizer que o plantio feito nas áreas experimentais segue o mesmo padrão do que é realizado na propriedade”, pontuou.

Romeu Scipioni, gerente do Departamento Técnico da Coagrisol, salienta que as Tardes de Campo são mais uma ferramenta que os produtores têm. “A orientação da assistência técnica é imprescindível, pois são estes profissionais que dão o suporte. Porém eventos como este é o algo a mais que o associado tem a disposição para melhorar sua produção”, observou.

O pesquisador da CCGL Mário Bianchi comentou que é preciso ter atenção no controle da população de plantas daninhas. “Como houve muita sobra da dessecação para estabelecimento da soja nesse ano e apresentam muita buva por cima da soja, tem que lembrar que todas estas plantas que sobraram produziram sementes e vão reinfestar esta lavoura”, alertou.

Ele afirma que a entre safra é o melhor período para o manejo e controle dos invasores. “Fazer uso de herbicida, mas também é preciso trabalhar com a supressão do crescimento para evitar nova emergência da planta daninha dentro deste período com coberturas de solo. Estes cuidados vão contribuir para redução desse problema”, finalizou.